A DANÇA ESPANHOLA

A UNESCO incluiu o Flamenco na Lista Representativa do Património Cultural Imaterial da Humanidade em Novembro de 2010.
Os dançarinos espanhóis são referenciados em todo o mundo por seu estilo elegante e cativante de movimentação. Enquanto muitas pessoas podem supor que todos os tipos de dança espanhola são iguais, há na realidade diferentes estilos. A dança espanhola clássica, o folclore, o flamenco e o bolero são exemplos de diferentes tipos.

A Dança Espanhola actual compreende o estudo de 4 estilos:

O FOLCLORE:
Folclore
A dança folclórica define-se como a dança com a qual a comunidade étnica se identifica. É a mais autêntica manifestação cultural dum povo.  Cada região ou província  espanhola tem a suas próprias danças populares: a “muñeira” de Galicia, as “Malagueñas” de Málaga, as “sevillanas” de Sevilla, ou a “jota” de Aragón.

A DANÇA BOLERA:
Escuela Bolera
A dança bolera tem a sua origem nas danças espanholas da Corte do século XVIII, conhecidas como “Goyescas”. Os fatos típicos da época, as zapatillas e as castanholas são os elementos fundamentais. a base desta dança é o ballet clássico, mas com um caráter festivo, e estilo espanhol.

A DANÇA ESTILIZADA:
Estilizada
A bailarina e coreografa Mariemma (Ìscar, Valladolid, 1971 – Madrid, 2008) definiu a dança estilizada espanhola como  “a livre composição de passos e coreografías, baseadas nas danças populares, no Flamenco e na Dança Bolera”.

O FLAMENCO:
Flamenco
Acervo de cante e bailes espanhóis de muito antiga procedência e grande variedade étnica que se consolida como forma artística individual e diferenciada.Suas raízes são incertas, as primeiras manifestações surgem no final do século XVII, mas supõe-se que já existia muito antes. Nasceu em Andalucía. Tradicionalmente aparece sócio ao povo cigano por ter sido este seu principal difusor e intérprete.